texto abaixo do cabeçalho


7 de mai de 2016

Memórias de Marilice: MÃES E A HISTÓRIA

Recém assisti ao filme COLONIA sobre o Chile na década de 70, quando Pinochet instalou ditadura, e assim muitos outros países sul-americanos.

Quando falam de agressividade por parte dos socialistas, minha memória (ainda bem viva) me traz Allende e a sua luta com tantos chilenos, pelos direitos à saúde, educação, liberdade e mais, para os trabalhadores (muitos mineiros) em outras situações de exploração.

O filme mostra que tivemos o nosso Hitler na América Latina, que desenvolveu o gás mortífero para matar milhares vindos das torturas ou apenas para serem disseminados. Entre eles, brasileiros também foram mortos.

Quem já ouviu o disco de vinil do Programa do Governo Allende saberia mais do quanto foi dolorido aos chilenos ter tantos mortos em milhares de famílias. Naquela data, Eu estava grávida de minha filha Melina, que pouco sabe daquela história. 

Entre 1960 e início da década de 1970, as ditaduras se alastraram na Argentina, Uruguai e Brasil, apoiados entre si pelos EUA. Na Argentina, as mães criaram uma associação: Mães da Praça de Maio, lugar que visitei quando fui a um Congresso Internacional de Arteterapia em Buenos Aires, As fotos são de lá e de minha autoria.


Meus respeitos a todas essas mães, VIÚVAS DE SEUS FILHOS, que lutaram e ainda lutam apenas para encontrarem seus corpos e, assim, poderem enterrar aquela imensa dor, que circula nas gerações.


Meu abraço caloroso neste DIA DAS MÃES, a estas lutadoras e às que perderam seus filhos assassinados, culpados por lutarem um MUNDO MELHOR PARA TODOS.



Nota: Parabéns à Lena e Daniel, PERSONAGENS REAIS, pois sem eles, a comunidade estrangeira não saberia o que ocorreu naquela colônia, onde uma seita insana e torturadora assassinava milhares.
  
ESTE FILME "Colônia" merece ser visto. Assim como são vistos tantos filmes sobre o Holocausto, Nós, latino-americanos, devemos assistir àqueles que contam a história do nosso continente, a NOSSA HISTÓRIA

Nenhum comentário: